notícias

Dados CNI

Faturamento industrial recua pelo segundo mês consecutivo
Pesquisa Indicadores Industriais mostra ainda queda no emprego, nas horas trabalhadas e na utilização da capacidade instalada em setembro. Rendimento real e massa salarial do setor também caem

01/11/2017

O faturamento da indústria caiu 0,9% em setembro frente a agosto, na série livre de influências sazonais. Esse é o segundo mês consecutivo de queda no indicador. No acumulado de janeiro a setembro deste ano, o faturamento está 2,9% abaixo do registrado no mesmo período de 2016. As informações são da pesquisa Indicadores Industriais divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta quarta-feira, 1º de novembro.


Todos os indicadores recuaram em setembro ante agosto, o que mostra dificuldade da indústria para mostrar uma trajetória sustentada de crescimento, destaca o documento. “O comportamento de oscilação dos indicadores comprova que a recessão ficou para trás, mas também mostra que o crescimento ainda não veio”, afirma o economista da CNI Marcelo Azevedo.


O emprego e as horas trabalhadas na indústria recuaram apenas 0,1% em setembro frente a agosto, de acordo com dados dessazonalizados. No acumulado de janeiro a setembro, o emprego está 3,4% menor e as horas trabalhadas estão 3% inferior ao mesmo período do ano passado.


A indústria operou, em média, com 77,5% da capacidade instalada em setembro, na série livre de efeitos sazonais. Isso representa queda de 0,2 ponto percentual na comparação com agosto. Já a massa salarial reduziu 1,2% e o rendimento médio real caiu 2,2% no período, após ajuste sazonal. No acumulado do ano de janeiro a setembro, a massa salarial está 2,4% abaixo do mesmo período de 2016. Já o rendimento está 1,1% maior na comparação.

Fonte: CNI

Arquivos