notícias

Instituições discutem ensino técnico para menores em situação de risco
FIEPE, Senai e Vara Regional da Infância e da Juventude, em parceria, irão viabilizar ensino técnico para este público

04/08/2017

A Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco, através do diretor regional, Andrerson Porto, está intermediando uma parceria entre o Serviço Nacional de Aprendizagem (Senai), a Justiça e o governo municipal na perspectiva de auxiliar jovens em situação de risco. Em reunião entre o representante da Fiepe, o diretor do Senai Caruaru, Edson Simões, e Juiz da Vara Regional da Infância e da Juventude da 7ª Circunscrição, Dr. José Fernando Souza, e representantes da Prefeitura de Caruaru foi discutida a oportunidade de oferecer ensino técnico para menores infratores e de casas de apoio do município.

 

A iniciativa é pioneira na cidade, mas já acontece em outros estados. Para o diretor da Fiepe Agreste, Andrerson Porto, é de extrema importância para Federação participar de parcerias como esta que promovem a inserção no mercado de trabalho e contribuem para a ressocialização de jovens. “Nosso objetivo foi o de discutir oportunidade de ensino técnico para este público. Desta forma, a Justiça, a Prefeitura, o Senai e a FIEPE estão atuando em conjunto para a diminuição da violência e qualificação dos recursos humanos. Para nós da Fiepe foi de extrema importância intermediar esta agenda que tanto beneficiará Caruaru”, destacou.

 

Os cursos que serão desenvolvidos pelo Senai serão de mecânica, confecção e pedreiro e foram escolhidos a partir de uma análise do mercado de trabalho. O Senai apresentou no encontro os professores da Instituições e explicou sobre o nível de escolaridade exigido para que os alunos integrem as aulas.”Estamos trabalhando para viabilizar o ensino técnico e dar condições para esses jovens que estão na área de risco, gerando uma perspectiva de vida e um futuro melhor para eles. Com isso, eles sairão da unidade prisional e das casas de apoio bem mais perto de terem uma profissão. Instituições unidas aos poderes públicos vão possibilitar e oportunizar uma qualificação para esses jovens, com cursos de mecânica, vestuário, pedreiro e costureiro”, disse Edson Simões.

 

Para o juiz da Infância e Juventude, Dr. José Fernando Souza, é fundamental que Caruaru também realize projetos e, para isso, a atuação da Fiepe e do Senai são fundamentais. “De forma pioneira, aqui, demos o primeiro passo com essa ação. Ao sair, esses jovens poderão galgar em alguma profissão. A juventude tem o direito à escolaridade e profissionalização. Procurei o Sistema S para que isso aconteça e para que eles possam ganhar sua subsistência no futuro, diminuindo o risco de criminalidade”. 

 

Arquivos