notícias

Seminário de Energia e Recursos Hídricos alerta para alternativas de abastecimento

19/07/2018
Vice presidente da FIEPE, Anísio Coelho falou sobre o panorama dos setores no País, e sobre como os últimos acontecimentos afetam a indústria

A Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE) realizou, nesta quinta-feira, o IV Seminário Internacional de Energia Elétrica e de Recursos Hídricos. Para a abertura, o vice- presidente da FIEPE Anísio Coelho ressaltou a importância das fontes renováveis para a matriz energética do País. "Com o agravamento da seca no Nordeste, 60% da energia consumida no Brasil vem da fonte eólica. Por isso, a importância de estarmos aqui debatendo esses assuntos", destacou. O evento contou com a parceria da embaixada da Espanha, e foi dividido em dois módulos: o hídrico e o energético.

 

Pela manhã, falaram Jaime Loreto, chefe do Serviço de Planejamento Hidrológico da Confederação Hidrelétrica del Segura OA; Marcelo Asfora, pesquisador da Fundação Joaquim Nabuco, Bruno Fukusawa, do Centro Internacional de Referência em Reuso de Água, Ciênio Torres Filho, da APAC, e Virgínia de Azevedo, da Acciona Água.

 

Neste último painel, o destaque ficou com Virgínia, que falou sobre um projeto interessante de dessalinização da mar, como alternativa para minimizar os efeitos da estiagem. "É uma excelente opção para as regiões costeiras e o Nordeste se beneficia por isso. É de extrema importância pensar nessas águas novas, como fez a Austrália e a Espanha nos anos 90", explicou.  

 

À tarde, a discussão se voltou para o setor elétrico - pontuado por todos os participantes como um dos setores mais afetados pela estiagem no Brasil. Comporam à mesa, Eduardo Azevedo, do Ministério de Minas e Energia, João Henrique Franklin, da Chesf, Martín Utrilla, da Celpe, e, mais uma vez, Virgínia de Azevedo, da Acciona Água.

 

Nesse painel, o representante da Chesf,  João Henrique Franklin, falou sobre a situação crítica dos nossos reservatórios, das elevações no preço da energia e dos investimentos feitos pela Companhia para abastecer o Nordeste. Em ambos os momentos, foram realizados debates sobre os gargalos e soluções para os setores. 

 

O Seminário foi apoiado pela embaixada espanhola e pelo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS) e realizado pela FIEPE, pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI) e pelo Serviço Nacional de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE). O evento contou ainda com rodadas de negócios entre potenciais compradores e empresas brasileiras e pernambucanas, com finalidade de estimular a negociação e a troca de informações com empresas estratégicas dos setores envolvidos. 

Arquivos